A arte marcial e a espiritualidade caminham lado a lado em busca da paz. Esta é a essência do budo.

O Sensei

O fundador do Aikido moderno, mestre Morihei Ueshiba, nasceu no dia 14 de dezembro de 1883, em Saigo, município de Tanabe, atual Wakayama, cidade que fica perto de Osaka no Japão.

Veja também

Ele era um jovem com corpo frágil e viu inúmeras vezes o pai literalmente apanhar dos adversários políticos.

Esses acontecimentos o fizeram repensar a vida e colocou para si próprio que iria ser forte, não poupando esforços para isso. Aos vinte anos já tinha obtido sucesso na sua “batalha.”

Sua formação em artes marciais foi avalizada nas escolas Goto-ha Yagyu Shingan-ryu de Bujutsu (arte que se utilizava de várias técnicas, entre elas, o Kenjutsu – arte da espada -, o Jujutsu – arte da luta suave e o Kyujutsu – arte do arco) e na escola Daito-ryu Aiki-jujutsu do mestre Sokaku Takeda.

Algumas técnicas básicas do Aikido moderno derivam da escola de mestre Takeda que data de mais de 900 anos.

De ensino militar e filosófico, o também agricultor, Morihei Ueshiba sempre buscou junto à arte marcial, a espiritualidade.

Certo dia buscava um templo para orar por seu pai doente quando conheceu o “Oomoto”, religião que prega que “Deus é o Espírito que anima todas as coisas, e o homem é o administrador de um governo universal. Quando o homem se une com Deus, manifestam-se uma autoridade e um poder infinitos.”

A religião foi marcante na vida do mestre Ueshiba, o tendo influenciado profundamente como homem e como artista marcial.

Foi com base nessas experiências, que Morihei Ueshiba transformou, desenvolveu e criou as técnicas para o Aikido atual, substituindo o termo ‘jutsu’ (técnica de combate) pelo termo ‘Do’ (caminho espiritual), elevando-a de uma arte marcial para um princípio superior.

Essa mudança ocorreu em 1925, considerado, inclusive, o ano do nascimento do Aikido.

O objetivo primordial da arte não é derrotar um oponente em algum jogo trivial, mas sim, a superação das limitações e o triunfo sobre nossos medos e nossas fraquezas.

Contudo o Aikido é também uma defesa pessoal e suas técnicas são potencialmente letais.

A arte deve ser praticada com toda a concentração e intensidade.

Explicando o propósito do Aikido em uma palestra, mestre Ueshiba assim concluiu:

“O Budo não é um meio de se derrotar um oponente pela força ou com armas letais. Também não é seu propósito levar o mundo à destruição pelas armas ou por outros meios ilegítimos. O verdadeiro Budo busca ordenar a energia intrínseca do universo, protegendo a paz mundial, moldando e também preservando tudo na natureza em sua forma correta. Praticar o Budo é essencial para fortalecer, em meu corpo e em minha alma, o amor do kami, a divindade que gera, preserva e nutre todas as coisas na natureza.”

Deixe uma resposta