A primeira coisa a se fazer, é se tornar mais compassivo, com tudo e com todos. A paciência é o melhor de todos os remédios e acaba com a dor de estômago de acordo com especialistas da área médica.

Um dos métodos mais eficazes para ficarmos em estado zen como observamos ao longo das matérias, é o ato da meditação.

A experiência meditativa pode parecer subjetiva – a minha consciência, a minha percepção. Mas quando olhamos com mais atenção o estado de meditação, descobrimos que a percepção não é subjetiva nem objetiva; tão pouco pode ser analisada do ponto de vista conceitual. A percepção é uma abertura natural, que ocorre quando se deixa à mente funcionar livremente por conta própria – sem interrupções, distrações ou expectativas.

Mas quem pensa que meditar é sentar e tentar relaxar ai vai uma grande surpresa. Nós podemos fazer nossa pratica meditativa andando, falando em voz alta, cantando… São várias as técnicas que podem ser utilizadas.

Tradicionalmente, o início da meditação envolve certas práticas como concentração intensa, a visualização de várias imagens ou o canto de mantras. Os mestres enfatizam práticas diferentes, de acordo com as necessidades do aluno. Um mestre, por exemplo, pode dizer a um aluno que vá sozinho para um lugar tranquilo e fique em absoluto silêncio. Pode determinar que outro vá para as montanhas ou a beira-mar e cante em voz bem alta. Um terceiro aluno pode ser induzido pelo mestre a olhar para o céu e simplesmente abrir-se.

Mas a meditação não é o único método que podemos usar para ficarmos zen. Conhecer lugares que tragam prazer é um bom remédio para nos mantermos equilibrados em busca desses objetivos. Escutar boa musica, seja ela qual for, um clássico, MPB, rock …, sim rock! qualquer música tem o poder de elevar o nosso espírito se tivermos a capacidade de entender o seu significado.

Dentre dos métodos que podemos utilizar temos as artes marciais. Elas sempre foram importantíssimas para os povos do oriente e notoriamente ganharam espaço em nossa sociedade que clama por equilíbrio. As artes marciais são pai e mãe do equilíbrio. São inúmeros os institutos que possibilitam o encontro do zen ao seu praticante. Dentre as mais importantes artes marciais encontramos o Jiu-Jítsu, o Judô, o Karatê e o Kung-fu. O Jiu-jítsu aliás, segundo textos japoneses é a mãe de todas as artes marciais. Ela é definida como arte de defesa e ataque, com ou sem armas, contra um oponente que possua armas ou não. Ela como todas as outras artes marciais é um método que ajuda o corpo a controlar a mente e também a mente controlar o corpo. Enfim, nas artes marciais encontramos o tal eixo que falamos na parte anterior de nossa série de matérias.

Uma outra técnica que é excelente para ficarmos zen é a pratica da yôga. A yôga é, por exemplo, um bom aliado na luta por algumas horas de sono. Não o sono simples, mas aquele sono que reconstitui todo o nosso corpo, seja ele mental, espiritual e físico. O sono é fundamental para a restauração, o relaxamento muscular, a reorganização da memória e a reposição de substâncias químicas no organismo.

A leitura é mais um dos métodos que também nos ajuda a relaxar em busca do Eu interior. Fazer uma boa leitura ajuda não só nossa mente como também ajuda a nossa reciclagem intelectual do qual já falamos.

Como verificamos, os métodos são simples, nada do que já não fazemos em nosso cotidiano. Ler, escutar música, praticar uma atividade física.

Quanto se paga para fazer meditação? Nada! Depende apenas de nós melhorarmos então nossa qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *